Assessora abre o jogo sobre a morte de Leandro, irmão de Leonardo

Ede Cury, assessora da dupla Leandro e Leonardo, revela em entrevista os bastidores da doença e morte do cantor, que comoveu o Brasil


A jornalista Ede Cury, assessora de Leandro, conta tudo que aconteceu em 1998, quando o cantor e compositor morreu vítima de câncer, aos 36 anos. Ede relembra o caos e a exaustão dos 63 dias em que esteve ao lado da família da dupla Leandro e Leonardo e seu respeito pelos fãs da dupla. “Eu acreditava na força da oração do povo brasileiro. Queria jogar o Leandro nos braços dos fãs. Me acusaram de ser marketeira, mas era sincero”, diz emocionada, em entrevista ao jornalista André Piunti.

Leia também:

Ede, que até hoje é a assessora do cantor Leonardo, que seguiu uma bem sucedida carreira solo após a perda do irmão, disse sobre a descoberta da doença de Leandro: “Quando eu soube que ele estava doente, foi porque ele falou que estava com muita dor nas costas. Ele foi ao dentista, fez um raio-X no consultório e já apareceu o tumor. Foi aí que começou a nossa saga. Eu acompanhei todo o processo de estar perto da família quando conversavam com os médicos”, disse a assessora.

“Chamamos a imprensa para dar a informação sobre a doença do Leandro. Além de explicar, porque tinha gente desconfiando, havia a questão dos shows, que ele não podia mais fazer, mas todos nós acreditávamos que ia ser um período difícil, mas ele ia se curar. Só que do dia da descoberta da doença até o dia que ele morreu, foram 63 dias. Não fizemos outra coletiva depois disso, aquela foi a única declaração.”

“Eu tive que colocar muitas regras para a imprensa. Como não existia internet, os jornalistas passavam a noite na porta do hospital, os fãs faziam vigília, e toda noite ‘matavam o Leandro’, saía em algum lugar que ele tinha morrido. Naquele tempo, uma foto do Leandro na UTI valia 100 mil dólares, eu tinha que barrar! Fui acusada muitas vezes de ser marketeira, a foto enrolado na bandeira, o chapéu no caixão, mas muita coisa foi acontecendo espontaneamente”, revelou a assessora Ede Cury.

Assista à entrevista completa de Ede Cury:

23 anos após sua morte, vida de Leandro deve ganhar as telas de cinema

História de Leandro e Leonardo deve virar filme
História de Leandro e Leonardo deve virar filme (Foto: Reprodução Internet)

Leandro e Leonardo, que conquistaram o país na década de 90, estão prestes a ter sua história como dupla sertaneja contada nos cinemas. Acontece que o longa “Não Aprendi Dizer Adeus” estava previsto para estrear no fim de 2020, mas teve suas gravações adiadas por conta da pandemia do novo coronavírus.

Dirigido por Benedito Ruy Barbosa, o filme tinha Bruno Gagliasso como protagonista, interpretando Leandro, mas agora a realidade já é incerta, visto que o ator se mudou para a Europa. Aliás, a história dos artistas também poderá se tornar uma série original Globoplay, como já havia sido noticiado pelo Movimento Country.

Recentemente, ao ser questionado sobre detalhes do projeto, Leonardo deu detalhes sobre o principal objetivo de “Não Aprendi Dizer Adeus”. “Mostrar essa história da dupla Leandro e Leonardo pelo mundo afora e ficar gravado isso aí, em vídeo pro Brasil inteiro e todo mundo curtir”, contou.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Acreditamos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. AceitarLeia Mais