Assessoria de imprensa mais atrapalha do que ajuda os artistas sertanejos?

É comum que a assessoria de imprensa blinde os artistas sertanejos, distribua pautas de forma seletiva e dificulte a chegada da informação ao público

Artistas costumam ter equipes trabalhando para eles e à medida em que a carreira decola e se consolida, numericamente essas equipes vão crescendo junto com a fama dos cantores. Dentre os profissionais que prestam serviço aos artistas, tanto sertanejos como de outros segmentos, há o assessor pessoal e o de palco, o produtor de shows, a pessoa que administra a agenda, empresário, personal stylist, cabelereiro, maquiador e, claro, a clássica figura da assessoria de imprensa.

Artistas de renome, a exemplos dos grandes cantores e duplas sertanejas, tem um verdadeiro exército de profissionais ao seu redor, cuidando da gestão dessa complicada e multifatorial engrenagem chamada carreira. Não poderia ser diferente. Não faz sentido que duplas como Jorge e Mateus, Henrique e Juliano, Zé Neto e Cristiano, Chitãozinho e Xororó ou, ainda, cantores solo como Luan Santana e Roberta Miranda, para citar apenas alguns nomes, cuidem pessoalmente da divulgação do seu trabalho. O artista se dedica a cantar e produzir música (no caso dos citados, música boa) e a equipe cuida de todo o resto. A rotina de estrada, shows, gravações e audições para escolha de repertório não é das mais leves, inclusive.

Talvez você esteja se perguntando qual a função de um assessor de imprensa (ou assessora, tá gente, o trabalho é unissex). A função mais elementar desse profissional é conseguir que sejam divulgadas na imprensa notícias sobre o seu assessorado, no caso, seu artista. Há diversas outras, uma vez que se trata de um trabalho com certo grau de complexidade, mas vamos nos ater a isso. Logo, você pode pensar que, quanto mais veículos de comunicação divulgando o trabalho do artista, melhor. Certo? Pois é, parece algo bem lógico, mas na prática nem sempre funciona assim.

Semanalmente, os veículos de comunicação, incluindo o Movimento Country, recebem muitos pedidos de pauta, ou seja, mensagens de assessores de imprensa dos mais variados artistas solicitando que seu contratado seja mencionado em alguma matéria. Nós entendemos que essa ponte entre o assessor de imprensa e o portal de notícias é de extrema importância para ambos. Nós vivemos de falar dos cantores e de sua música. Os cantores vivem de ter seu trabalho divulgado. É uma via de mão dupla.

Justamente por compreendermos a importância dessa relação de cooperação entre artistas e imprensa, tendo no assessor a figura do mediador dessa relação, que a gente sempre procura atender ao máximo de pedidos que chegam até nós. Todos os grandes, um dia, foram pequenos, e também por isso temos particular alegria de dar notas sobre artistas que tem, no momento, menor visibilidade, mas que a gente aposta que tem potencial para crescer bastante.

O problema começa quando o artista vai ficando grande. Mais shows, mais compromissos, mais lançamentos e menos tempo para ficar a par de questões do dia a dia da gestão de sua carreira. Um processo absolutamente natural. A questão é que, não raro, algumas assessorias de imprensa começam a blindar seus artistas do contato com os veículos de imprensa, mesmo quando esse contato é super benéfico. O artista parece ser colocado em uma espécie de pedestal e se torna intocável. Obviamente, graças a Deus, esses não são a maioria e há assessorias de imprensa que fazem um trabalho excelente, focado na cooperação entre as partes.

Quando isso acontece, a culpa é do artista? Muitas vezes, não. Em muitos casos, o problema está naquela figura sensacional do assessor de imprensa, que esquece que aquilo que subiu um dia pode cair e a necessidade de cooperação entre as partes é vitalícia. Frequentemente, o artista não tem a menor ideia de nada disso e, se pudesse escolher, faria diferente. Mas não faz porque nem fica sabendo o que acontece nos bastidores.

Vou dar um exemplo prático. Não faz muito tempo, fomos procurados por uma artista de quem somos muito fãs. Sim, ela própria, sem atravessadores. Que pessoa incrível! Humilde, doce, gentil, e com uma bagagem espetacular na música. Artista de quem dá gosto falar. Estabelecemos um contato muito legal. Na mesma semana, quando buscamos a assessoria da mesma artista pedindo uma entrevista (que, diga-se, iria ao ar em uma afiliada da TV Globo), fomos surpreendidos com uma negativa. Baseada em quê? Até hoje não sabemos, e a artista também não sabe. Tem assessor de imprensa que, em vez de auxiliar seu assessorado, depõe contra ele.

Aliás, quando o artista chega até nós diretamente, sem atravessadores, quando se estabelece essa troca muito legal de informações e de energia também, quando o papo flui e todo mundo fica satisfeito, nosso coração fica quentinho. Arrisco dizer que é a parte mais legal do nosso trabalho, e um reconhecimento por parte do artista que nos enche de orgulho.

Obviamente, os assessores de imprensa dos artistas mais bombados não conseguem atender a todos os pedidos. Os dias tem só 24 horas, a agendas ficam lotadas, e torna-se necessário avaliar a quais pedidos atender. A gente entende. Acontece que, quem vive nesse meio, sabe que assessores de imprensa tem seus veículos de comunicação e portais queridinhos, e volta e meia negligenciam outros que fazem uma cobertura de boa qualidade e que poderiam contribuir positivamente para a divulgação do trabalho do seu artista.

Vale lembrar que disparar um press release (nota de lançamento de música, videoclipe ou evento, por exemplo) gera zero demanda de tempo a mais para os cantores e para a equipe e, mesmo nesse momento, há assessorias de imprensa tendenciosas. É triste e, honestamente, injustificável.

O pior de tudo, porém, são as assessorias de imprensa que oferecem pauta de todos os seus assessorados, mesmo os grandes artistas. Quando você aceita fazer a matéria, eles usam os nomes de peso como isca, ou seja, empurram os pequenos e seguram os grandes. Como eu já disse, a gente ama dar uma força para os pequenos, mas essa não me parece a conduta mais honesta por parte das assessorias.

Leia também:

Também acontece de assessorias marcarem entrevistas e furarem na última hora. Para citar outro exemplo que aconteceu conosco recentemente, um dupla sertaneja bem famosa marcou e furou uma entrevista três vezes! Não somos amadores. Chegamos na internet pra falar de música sertaneja há mais de 20 anos, quando tudo isso aqui ainda era mato. Somos profissionais que demandam tempo e planejamento para nos preparar para esse tipo de evento e, assim, seguir entregando ao nosso público, informação relevante e de qualidade.

A culpa foi da dupla? Não foi. A culpa foi da falta de organização e planejamento da assessoria de imprensa. Acontece com mais frequência do que se imagina. Uma pena. Se todos os profissionais envolvidos nesse processo entendessem que, juntos, podemos ir mais longe, o trabalho de todo mundo seria bem mais fácil. E, claro, quem mais ganha com isso é o próprio público, sempre fiel e sedento de informações sobre o seu artista preferido.