BBB 22: O que leva artistas famosos a arriscar tudo no reality?

Em meio às especulações sobre quais famosos vão entrar no BBB 22, cabe refletir sobre o que leva artistas conhecidos a arriscar tudo no reality show

Ano Novo, Big Brother Brasil novo! Entra ano, sai ano, uma das poucas certezas que temos é que em janeiro começa o BBB, agora com a edição de número 22. A gente piscou e se passaram 20 anos de reality show, e eu confesso que acho isso um pouco assustador.

Desde que o BBB começou a incluir famosos no time Camarote, vimos carreiras decolando e carreiras ruindo na mesma velocidade. Bastam poucas horas para que alguém seja sumariamente cancelado, muitas vezes porque disse ou fez coisas, de fato, reprováveis, embora eu seja contra essa cultura do cancelamento. Mas, isso é assunto pra outro dia.

LEIA TAMBÉM:

Vimos no último ano a desconhecida Juliette ser aclamada pelo povo e virar paixão nacional. Vimos Rodolffo, da ótima dupla com Israel, finalmente conseguir a projeção nacional para o seu trabalho, que buscava há muitos anos! Acho a história deles bastante motivadora, até emocionante, que nos mostram que tudo pode mudar drasticamente muito rápido. Neste caso, mudou pra muito, mas muito melhor.

Todavia, não faltam exemplos de artistas que tinham carreiras consolidadas e saíram do BBB cancelados, até mesmo com índices históricos de rejeição. Para me restringir apenas ao mundo da música, tá aí Karol Conká que não nos deixa mentir. Projota, o queridinho das letras cult, também teve a carreira abalada após o BBB do ano passado. A sorte dessas pessoas é que o povo tem memória curta e ser artista requer uma boa dose de jogo de cintura e cara de pau. Logo, as carreiras entram nos eixos, mas sinceramente acredito que ainda veremos um cancelado cair para nunca mais se levantar.

Em tese, essas pessoas tinham fama, dinheiro no bolso e uma boa reputação antes de entrar no BBB. Pode ser que as carreiras não andassem às mil maravilhas, mas nenhuma dessas pessoas estava esquecida. Diante disso, me pergunto: o que leva artistas conhecidos a arriscar tudo no reality show? E quando digo arriscar, entendo que a chance de perder tudo é 50%. É alta a probabilidade de tudo dar muito errado, e fico me perguntando se vale a pena. Rodolffo provavelmente diria que vale muito. Projota, possivelmente, se arrependa.

Comecei a refletir sobre isso depois de ver o nome de dois cantores sertanejos na lista dos famosos cotados para entrar no BBB 22: Naiara Azevedo e Lucas Lucco. Ambos muito conhecidos no segmento. Ambos estouraram com canções de sucesso meteórico e já faz um bom tempo que tentam emplacar um novo hit na mesma proporção. Tentam e não conseguem, e talvez aí esteja a resposta.

O artista completamente desconhecido acredita que precisa de um momento de virada na carreira. Aquele empresário que vai acreditar no seu trabalho a ponto de promovê-lo, aquela gravadora que vai abrir as portas e assinar contrato, aquela parceria que vai apresentar sua voz pro mundo. Cantores, principalmente, precisam ser ouvidos. Lucas Lucco e Naiara Azevedo já tiveram esse momento do boom. E o momento passou. Para onde ir depois disso?

São poucos os artistas que conseguem estourar e se manter no topo, como aconteceu com a maravilhosa Marília Mendonça (saudades, rainha!). Muitos cantores que têm carreiras longevas dizem que se manter no topo é mais difícil do que chegar nele.

Naiara Azevedo estourou com “50 Reais“, que até hoje está na minha playlist bagaceira. Lucas Lucco, por sua vez, me parece um rapaz doce escondido atrás daquele monte de músculos. Ele estourou com “Mozão”, mas também canta a lindíssima “Pra Te Fazer Lembrar” (eu amo música triste, me julguem!), que sozinha tem quase 100 milhões de visualizações no YouTube. Ou seja, o cara é sucesso! Vale o risco do BBB?

Se nos compromissos profissionais a gente consegue filtrar muitas coisas e só mostra o que interessa, o que nos favorece, e isso vale para todas as profissões, nos reality shows as pessoas acabam se mostrando com muito menos filtros. Vêm à tona temperamentos, personalidades, opiniões pessoais, e o fator talento musical, por exemplo, fica em segundo plano. E é por isso que participar é tão perigoso.

Por outro lado, o apelo de participar do BBB na era das redes sociais e dos milhões de seguidores, da visibilidade e do dinheiro que corre solto nas publicidades é bem tentador. Se o artista já teve o boom e não se manteve no topo, como é o caso de Lucas Lucco e Naiara Azevedo, talvez seja a última chance de voltar ao cume da montanha do sucesso.

Sabemos que os reality shows, como o BBB, vivem da repercussão e das tretas. Quanto mais conflito, mais audiência, mais grana rolando. De minha parte, não sei se conseguirei assistir regularmente e já me sinto meio senhora para amar tanto quebra-pau. A maturidade, acreditem, deixa a gente mais paz e amor e com muito menos paciência pra brigar.

Nenhum dos dois artistas confirma que estará no BBB, e nem podem fazer isso, por questões contratuais. Por enquanto, assim como estou fazendo aqui na coluna, trata-se apenas de especulações. Semana que vem eu volto pra gente conversar sobre os nomes confirmados, mas eu, como amante e conhecedora de música, sempre vou torcer para que prevaleça o talento. Se puder vir junto com um dose de bom caráter, carisma e jogo de cintura, melhor ainda!

Sobre Dyala Assef: colunista do Movimento Country, escritora, professora universitária e ouvinte voraz de todos os estilos de boa música.