Por onde andam? Relembre 10 duplas sertanejas que estão sumidas das paradas de sucesso

64.602

Eles fizeram história, conquistaram o público brasileiro, mas… sumiram das paradas! Relembre 10 duplas sertanejas que gostaríamos de ver bombando até hoje

Desde o surgimento do sertanejo universitário no final dos anos 2000, a música sertaneja passou por uma grande transformação e, com ela, o surgimento de duplas sertanejas dos mais diferentes tipos, estilos e nomes passou a ser um fator comum para o gênero, bem como o sucesso espontâneo delas.

Embora tenham feito muito sucesso com certos hits, algumas duplas sertanejas estão completamente sumidas das paradas há anos. A mudança do cenário musical para o streaming, principalmente o Spotify, e o enfraquecimento das rádios obrigou os artistas a adotarem outras medidas para chegar ao seu público, e principalmente chamar a atenção de novos fãs.

A verdade é que nem todo mundo migrou bem para essa nova fase. Como tudo hoje é imediato, algumas duplas acabaram “caindo no esquecimento” do público em geral, embora tenham conquistando uma legião de fãs que ainda permanecem junto a cada passo.

É o caso, por exemplo, de Munhoz e Mariano com Camaro Amarelo, Marcos e Belutti com Domingo de Manhã e Thaeme e Thiago com Ai Que Dó” e vários outros que nós amaríamos ver fazendo o mesmo sucesso de tempos atrás.

Relembre conosco 10 duplas sertanejas que estão sumidas das paradas de sucesso:

Munhoz e Mariano

O lançamento de “Camaro Amarelo” em 2011 foi um divisor de águas na carreira de Munhoz e Mariano. A dupla sertaneja passou a liderar as paradas de sucesso e até emplacou outros sucessos, como “Seu Bombeiro” e “Mulherão da Porra”, mas hoje não aparecem mais nas paradas de sucesso. Embora o cantor Mariano tenha participado do reality “A Fazenda 12”, a dupla não conseguiu mais números expressivos nas plataformas.

Marcos e Belutti

Marcos e Belutti tiveram a música mais tocadas das rádios em 2014: “Domingo de Manhã” fez um sucesso meteórico e tocou em literalmente todo bar do Brasil. E não pense que foi só isso: a dupla sertaneja ainda emplacou “Aquele 1%” e “Romântico Anônimo”, que fizeram muito sucesso entre o público. No entanto, desde então, não ganharam mais tanto destaque com seus lançamentos, embora tenham uma base de fãs sólida no Spotify.

João Bosco e Vinícius

Quem nunca dançou ao som de “Chora, Me Liga” e “Sorte é Ter Você”? Há quem diga que João Bosco e Vinícius foram os precursores do sertanejo universitário no Brasil, e de fato a dupla sertaneja fez sucesso com suas músicas e agenda super requisitada para a época do auge. Recentemente, chegaram a fazer sucesso em aplicativos como TikTok devido a um remix da música “Bloqueia Eu“, mas a dupla nunca mais conseguiu um sucesso tão expressivo quanto os antigos.

Guilherme e Santiago

Quem adora um modão sertanejo com uma pitada de sofisticação deve se lembrar de hits de Guilherme e Santiago que bombaram há cerca de uma década. “E daí?”, “Meia Noite e Meia” e “Tá se Achando” caíram na boca do povo, mas hoje ambos estão apagados diante dos grandes lançamentos sertanejos. A dupla sertaneja chegou a gravar uma música com Marília Mendonça para seu novo DVD, que ainda não foi lançada.

Thaeme e Thiago

Dupla que fez um grande sucesso nacional e uma das primeiras a se destacar com a composição de 1 homem e 1 mulher, Thaeme e Thiago tiveram seu momento de glória e fizeram muito sucesso nas rádios do Brasil. Donos de hits como “Ai que Dó” e “O que Acontece na Balada”, a dupla sertaneja hoje chama mais atenção com suas atividades nas redes sociais do que com a música em geral. Enquanto Thaeme encantou o país com sua segunda filha recentemente, Thiago foi um dos queridinhos da edição passada do “Power Couple Brasil”.

Maria Cecília e Rodolfo

Embora Maria Cecília e Rodolfo continuem trilhando uma linda trajetória musical no sertanejo, a dupla não está mais em ascensão há muito tempo. Com novas parcerias do ritmo universitário explodindo, eles acabaram perdendo espaço nacionalmente e nunca mais emplacaram músicas como “Coisas Esotéricas“, hit que tocou nos quatro cantos do Brasil em 2008.

Edson e Hudson

Os irmãos Edson e Hudson, que na verdade se chamam Huelinton Cadorini Silva e Udson Cadorini Silva, acabaram desaparecendo dos holofotes após algumas polêmicas envolvendo a dupla. No entanto, algumas canções continuam memoráveis para a música sertaneja, como “Azul” e “Foi Deus”. Apesar de não aparecerem entre os mais tocados, o que é compreensível quando analisamos a quantidade de anos que a dupla está no mercado, Edson e Hudson ainda tem uma demanda altíssima de shows.

Rick e Renner

A dupla sertaneja Rick e Renner fez história na música sertaneja no final da década de 90 e começo dos anos 2000, sendo disparado os mais tocados do Brasil, inclusive a frente de nomes como Zezé Di Camargo e Luciano. No entanto, como nem tudo são flores, acabaram se separando após polêmicas do cantor Renner, que chegou até a ser preso. Embora não tenham tanta popularidade nas paradas de sucesso por serem de outra geração, a dupla marcou a música sertaneja com os sucessos “Ela é Demais“, “Nos Bares da Cidade” e muitas outras.

João Neto e Frederico

Com hits típicos do sertanejo universitário, e muito sucesso nos anos iniciais do movimento que mudou a música sertaneja, João Neto e Frederico emplacaram “Balada Louca“, “Pega Fogo Cabaré” e também tiveram parcerias de sucesso, como em “Rapariga Não”, com Simone e Simaria. No entanto, o sucesso que atingiu com tais músicas não vem sendo repetido há alguns anos.

Pedro Paulo e Alex

Desde 2011 no meio sertanejo, Pedro Paulo e Alex são do Paraná e chegaram a lançar mais de uma música marcante na carreira, incluindo “Meu Corpo Da Sinal” e “As Novinhas Tão Sensacional“. Muito populares por seu corpo definido e danças sensuais em cima dos palcos e clipes, a dupla sertaneja deixou de se destacar e hoje não participa mais das paradas de sucesso.