Fernando, dupla de Sorocaba, faz revelações em entrevista

Fernando Zor fala em entrevista sobre o início da dupla com Sorocaba, o trabalho de produtor e o namoro com Maiara

Fernando Zor deu uma longa entrevista para André Piunti, que está disponível no canal oficial do jornalista no YouTube. Durante o bate papo, Fernando relembrou o início da carreira, contou como foi formada a dupla com Sorocaba e falou sobre seu premiado trabalho como produtor. Além disso, Fernando também comentou sobre o relacionamento com a cantora sertaneja Maiara, dupla de Maraisa.

Já no início da entrevista, Piunti indagou Fernando sobre os boatos de que ele seria, na verdade, mero funcionário de Sorocaba. Neste momento, o segunda voz conta sobre quando recebeu o convite para formar a dupla. “Eu tocava em bar, ganhava 50 contos na noite. O Sorocaba, na época, me ofereceu uma salário pra entrar na dupla. (…) Ele falou: ‘A gente está fazendo uns 15 a 20 shows por mês, a gente está reinvestindo. Você topa ganhar 3 mil reais por mês?’ E eu falei assim: ‘eu topo é agora!”, completou.

A respeito do estouro da dupla, Fernando comentou: “Foi muito rápido. Em questão de um ano, a gente já estava fazendo show igual louco. O pré é que foi difícil. Não é só uma questão de talento. Tem um monte de gente que tem talento, não tem uma explicação. É você estar no momento certo, com a pessoa certa. é ter do seu lado pessoas que somam e têm a mesma vibe”.

Não demorou muito para que Fernando Zor deixasse de ser funcionário de Sorocaba para virar seu sócio: “Depois de um tempo, tivemos a reunião pra virar sócio. O empresário que estava com a gente na época saiu, não sei qual o motivo. Ele era sócio do Sorocaba no projeto, e aí ele se desligou e eu entrei. Era inevitável. Apesar de pouco tempo de convivência, as ideias começaram a bater muito, tanto é que no segundo disco eu já estava produzindo e criando arranjos, e a gente somava muito”.

Segundo Piunti, ajuda a explicar o longevo sucesso da dupla o fato de que, em algum momento, Sorocaba deixa de ser o único foco e começa a aparecer o músico Fernando, agora também o produtor da dupla, o primeira voz em muitas músicas, como se começasse uma fase nova da carreira. Neste sentido, foi inovador Fernando começar a cantar algumas músicas. As pessoas estranharam no início, mas eles insistiram e acabou dando certo.

“Eu sempre fiz segunda voz, mas tudo aconteceu muito natural. Começou pela Madri, que o Sorocaba fez, mas não gostava muito de cantar pelas rodas (…) e eu gostava tanto da música que cantava pra mostrar pra galera. Eu já tinha apostado nela. Na hora de gravar o DVD, ele falou pra eu começar”, contou Fernando. “Uma coisa que o Sorocaba não tem é ego. Já conheci várias duplas que o segundeiro quando faz a primeira voz, o parceiro não gosta, e o Sorocaba nunca teve isso. Ele tem uma visão macro, ele vê a carreira”, elogiou o entrevistado.

Perguntado sobre quando começa a ganhar destaque como produtor, Fernando responde que foi com a própria dupla: “Eu estava sempre participando das produções e eu ficava mais ligado no estúdio, e a galera começou a me pedir para produzir. Teve uma visibilidade mais legal quando Marcos e Belutti entraram pro escritório (FS). Como eu estava sempre ligado nessa parte musical, eu me ofereci pra fazer os arranjos. Tinha ‘Domingo de Manhã‘, no  disco seguinte teve ‘Aquele 1%’ com o Safadão, então esses dois discos foram arranjados por mim. Eu dava muito certo com os meninos, sempre”.

Sobre o estouro da canção “Domingo de Manhã”, de Marcos e Belutti, Fernando comentou: “Para o sucesso, o estouro, é um conjunto. Não é só a produção, tem a visão da música, vem no momento certo. Essa música veio primeiro para FS e eu gostei muito, e fiz uma guia. Sempre gostei muito das músicas do (Bruno) Caliman, mas ele tem uma pegada um pouco mais rock, e eu deixei mais com cara de sertanejo. Fiz o arranjo cantando e mostrei pro Belutti”. 

“O sucesso da música foi esse conjunto, e também o Belutti acreditar na música e cantar da forma que cantou (…). Eu costumo dizer que a música pode ser um hit, mas ela procura o dono. Se o cara não cantar do jeito que tem que ser, talvez se fôssemos nós a gravar, a música não tivesse tanto sucesso. A gente achava que não ia combinar com o estilo do Sorocaba cantar, mas a gente sabia que a música era muito grande”.

Leia Também:

Assista a um trecho da entrevista de Fernando Zor a André Piunti:

Fernando fala sobre o polêmico relacionamento com Maiara

Fernando e Maiara (Foto: Reprodução Instagram)
Fernando e Maiara (Foto: Reprodução Instagram)

Piunti revelou ao entrevistado que recebeu muitas perguntas sobre o relacionamento com Maiara, mas Fernando se esquivou de entrar em quaisquer polêmicas. Piunti relembra a live de Dia dos Namorados que os cantores fizeram no ano passado, e sobre a ocasião, Fernando disse:

” Foi um momento muito especial, pois além da nossa conexão, a gente conseguiu duetar. É muito legal cantar com a Maiara, porque falar que ela canta muito é chover no molhado, porque realmente ela é uma das maiores artistas do Brasil. Cantar do lado dela, naquela live, com aquele repertório (fora do repertório das duas duplas) foi um presente”, elogiou Fernando.

Fernando Zor é um baita artista, bom cantor de primeira e segunda vozes, produtor premiado de alta qualidade (já venceu dois prêmios Grammy Latino). Chega a ser triste que a maior parte das perguntas recebidas pelo jornalista acerca do entrevistado verse sobre seu namoro iô-iô com Maiara, especialmente quando há tanto sendo feito no âmbito profissional.

É natural que as pessoas se interessem sobre a vida pessoal dos artistas, mas quando isso passa a ser o foco, algo está errado. Fernando é muito mais interessante sem Maiara. Quem curte os bastidores da música respirou aliviado quando nem entrevistador e nem entrevistado se deixaram seduzir sobre essas polêmicas e mantiveram o foco no que é, de fato, relevante: a música!