Indicação ao Grammy Latino 2021 do álbum “Patroas” reafirma a força feminina no sertanejo

Marília Mendonça e Maiara & Maraisa são indicadas ao Grammy Latino 2021 com “Patroas”, na categoria Melhor Álbum de Música Sertaneja, e reafirmam a força das mulheres no segmento

O projeto “Patroas” ganhou uma série de EPs no ano passado, disponíveis nas plataformas de streaming, somando 19 faixas que foram registradas em uma live de Marília Mendonça e Maiara & Maraisa. Agora indicado ao Grammy Latino 2021 de melhor álbum de música sertaneja, “Patroas” é o único trabalho concorrente da categoria feito por mulheres. Vale lembrar que Marília venceu a premiação em 2019, com o álbum “Em Todos os Cantos”, e está concorrendo como uma das principais apostas deste ano.

“Patroas” remete a 2016, quando as mulheres começavam a despontar com mais força no universo sertanejo. Na época, Marília Mendonça se uniu à dupla Maiara & Maraisa para comandar a “Festa das Patroas”, feita eventualmente com a presença de outras cantoras do gênero, como Paula Mattos e Wanessa Camargo. Pode-se afirmar, portanto, que o álbum “Patroas” começou a tomar forma como um desdobramento do trabalho de 2016 e, efetivamente, nasceu a partir da referida live apresentada pelas cantoras em 14 de junho de 2020.

Sob o selo da gravadora Som Livre, “Patroas” foi lançado em cinco EPs, em um intervalo de poucos meses, e em cada um deles havia uma faixa inédita, todas de autoria das três cantoras e compositoras, mas que nunca fizeram parte de seus repertórios nas carreiras individuais. Todas as demais eram versões de músicas estrangeiras ou regravações de canções sertanejas antigas, muitas delas já consagradas.

No primeiro EP, a música inédita é a bela “Quero você do jeito que quiser”, composição de Marília e Maiara & Maraisa, seguida por “10 de setembro” (Marilia Mendonça, Maraisa, Juliano Tchula e Élcio de Carvalho) no EP 2. O talentoso Tchula sempre foi parceiro contumaz de Marília nas composições, e o trabalho dos dois juntos já rendeu canções excelentes, como “Até Você Voltar” e “Cuida Bem Dela”, ambas de Henrique e Juliano, além da linda “De Quem é a Culpa”, que chegou a ser gravada por Cristiano Araújo, mas chegou ao grande público na voz da própria Marília.

As demais inéditas do álbum são “Uma vida a Mais”, parceria de Marília Mendonça e Maraisa com Gabriel Agra e Juliano Tchula (de novo ele); “Você Nem é Tudo Isso”, dos mesmos quatro autores de “10 de setembro” que assinam, ainda, “Assunto Delicado”. As cantoras também lançaram como inédita a versão em português da canção “Listen to Your Heart” (Per Gessle e Mats Persson, de 1988), enorme sucesso da dupla sueca Roxette. No próprio videoclipe da canção, Maiara diz que essa é a sua favorita do álbum todo, mas talvez porque eu cresci ouvindo Roxette, é a que menos me agradou. A melodia original fica ressoando na cabeça, aí vem essa versão em ritmo sertanejo dançante e o cérebro dá um nó. Se a versão fosse uma balada, teria mais chances de funcionar.

Entre as muitas regravações, destaque para “A Solidão é uma Ressaca” (Bruno e Rafael Dias, 2001), “Cheiro de Shampoo” (Cecílio Nena, 1993), “Coração Bandido” (Rafael Dias e Silas Barcelos, 2008) e “Nuvem de Lágrimas” (Paulinho Rezende e Paulo Debétio, 1989) sucessos nas vozes, respectivamente, de Bruno & Marrone, Chrystian & Ralf, Leonardo e Chitãozinho & Xororó em participação no álbum de Fafá de Belém.

Já falei anteriormente aqui na coluna que admiro muito o trabalho de Marília Mendonça, e também já falei do  amadurecimento dela e de Maiara & Maraisa como artistas. Tais qualidades, que estão evidentes no EP “Patroas 35%”, lançado há poucas semanas, já estavam presentes no primeiro álbum “Patroas”. Marília é uma compositora excelente, uma cantora intuitiva e uma boa intérprete, que não precisa de malabarismos vocais para dar o seu recado e, mais importante, emocionar os ouvintes. Menção honrosa aqui para sua interpretação em “Coração Bandido”, uma lindeza de se ouvir.

Lá em 2015 eu assisti a um show de Marília em um Festeja (festival sertanejo itinerante promovido pelo escritório Workshow) e achei que faltava trabalhar presença de palco. Depois, fui a outro show dela em 2019 e a senti mais solta. Assistindo à live “Patroas” e, principalmente, os videoclipes mais recentes do trabalho colaborativo com as amigas gêmeas, acho que ela melhorou ainda mais. Essa menina pode conquistar o mundo, se quiser!

Maiara & Maraisa têm muita bagagem e recursos de técnica vocal. Acho que Maraisa é uma segundeira excepcional, e também ótima compositora. Quando faz seus solos, também se mostra muito eficiente, como em “Medo Bobo”, que estourou no país inteiro há poucos anos. Maiara, por sua vez, tem uma potência absurda na voz, mas eu tendo a gostar mais dos trabalhos de estúdio da dupla. Ao vivo, os malabarismos vocais me cansam um pouco, acho que ela pesa a mão algumas vezes. Por outro lado, Maiara me agrada bastante nas faixas de “Patroas”, à exceção de “Cheiro de Shampoo”, que, coincidência ou não, é a canção em que Marília brilha menos.

Os números alcançados pelas gravações das Patroas, são superlativos, e os vídeos já tiveram centenas de milhões de visualizações, além de outros tantos milhões de plays das músicas nas principais plataformas de streaming. As cantoras planejam sair em turnê nacional com o show do projeto assim que a pandemia do Covid-19 for controlada e a indústria da música voltar a funcionar plenamente dentro dos padrões anteriores. Disseram que não vão passar por aqui, a princípio, mas se passassem, acho que valeria cada real do ingresso.

Honestamente, acho que essas indicações ao Grammy Latino de melhor álbum sertanejo deste ano estão desenhadas para que vençam Os Barões da Pisadinha. Se você não leu o que eu disse sobre o que há por trás dessas premiações, o link está aqui. Prova disso é que quatro dos cinco indicados nesta categoria são artistas da Sony Music. Nem no Grammy original norte-americano, nem no Grammy Latino ou em qualquer outra premiação similar, a qualidade da música é o único critério para se escolher o vencedor. Como apreciadora de música sertaneja, queria pelo menos ver como vencedor um artista que fosse realmente sertanejo. Pisadinha é pisadinha. Sertanejo é sertanejo. Podem até conviver harmoniosamente, mas não são a mesma coisa.

A 22ª Entrega Anual do Grammy Latino acontece no dia 18 de novembro, na MGM Grand Garden Arena, em Las Vegas, nos Estados Unidos. No Brasil, a cerimônia será transmitida ao vivo pelo canal da TV a cabo TNT a partir das 19h00.

Sobre Dyala Assef: colunista do Movimento Country, escritora, professora universitária e ouvinte voraz de todos os estilos de boa música.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Acreditamos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais