Gusttavo Lima é detonado e chamado de genocida após reunir 35 mil pessoas em show

Um show super lotado de Gusttavo Lima na cidade de São José do Rio Preto (SP) gerou revolta no público e até embate com Cláudia Leitte na internet

Gusttavo Lima se envolveu em uma grande polêmica na manhã desta segunda-feira (29) após fazer um show para 35 mil pessoas na cidade de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo. Tal show já havia gerado revolta na cidade, que pedia o cancelamento por meio de representantes de escolas de samba, e voltou a ser assunto após uma hashtag contra a cantora Claudia Leitte bombar no Twitter.

A história começou após uma apresentação de Claudia Leitte num trio elétrico em São Paulo no domingo (28), que provocou aglomeração de milhares de pessoas. Logo após o evento cair na internet, bolsonaristas começaram a atacar a cantora, que apoiou o movimento “Fique em Casa” para conter a disseminação da Covid-19. No Twitter, a hashtag #ClaudiaLeitteGenocida chegou ao segundo lugar dos assuntos mais comentados do Brasil.

Acontece que no sábado (27), Gusttavo Lima fez um show lotado para 35 mil pessoas, e os apoiadores do governo sequer abriram seus olhos para este acontecimento, justamente pelo apoio do cantor a Bolsonaro, cloroquina e vários outros fatores. Na internet, milhares de pessoas se revoltaram contra o cantor sertanejo e começaram a rebater os ataques enviados à Claudia para o marido de Andressa Suita, que ainda fez questão de publicar um vídeo do público cantando “Nota de Repúdio”, um dos seus sucessos mais recentes, em seu Instagram.

Gusttavo Lima chegou a ser chamado de genocida pelos internautas e não se pronunciou sobre o assunto. No Twitter, assim como os ataques de Claudia Leitte, o cantor sertanejo também vem sendo duramente criticado pelo seu show, principalmente com a nova variante da Covid-19 chegando com força total no mundo.

Confira alguns dos comentários detonando Gusttavo Lima:

Escolas de samba da cidade pediram cancelamento do show

(Foto: Reprodução/Instagram)
(Foto: Reprodução/Instagram)

Segundo o jornal local Diário da Região, alguns representantes de escolas de samba de São José do Rio Preto se uniram para pedir o cancelamento do show de Gusttavo Lima após o carnaval na cidade ser adiado mais uma vez, o que acabou causando revolta em muita gente. Por meio de um manifesto, A Liga Rio-pretense das Escolas de Samba, em parceria com as escolas Unidos da Boa Vista e Imperatriz Rio-pretense, criticam a postura do prefeito da cidade, já que eventos em geral, como shows, estão autorizados em São José do Rio Preto.

A principal revolta das escolas de samba é que supostamente o prefeito da cidade teria tomado a decisão “de forma unilateral, sem ouvir os representantes”. As aglomerações em bares, boates e shoppings também foram levadas m consideração no manifesto, que alega que o Poder Executivo estaria privilegiando uns e esquecendo de outros:

“Fica claro que a decisão do governo em manter o show de Gusttavo Lima para um grupo de privilegiados que tem condições de pagar os ingressos e o cancelamento do Carnaval, que é um espetáculo popular e gratuito, sem ao menos discutir e avaliar possíveis regras, é uma falta de consideração para com os membros das Escolas de Samba e para com a população mais pobre da cidade que não tem como arcar com despesas para ingresso em clubes e shows particulares”, diz parte da nota.

A Prefeitura da cidade emitiu uma nota alegando que a decisão de cancelar o carnaval, tomada na quarta-feira (24), foi tomada com cautela para evitar novas ondas da Covid-19. Pelo menos 70 cidades do interior de São Paulo optaram por cancelar o Carnaval popular, mas as festividades privadas estão liberadas no estado. Para ler o manifesto completo que pede o cancelamento do show de Gusttavo Lima clique aqui.