Empresário que realizou transação suspeita com Gusttavo Lima é preso em operação no Mato Grosso

Marcos Rogério Araújo Nogueira, que chegou a comprar um carro de Gusttavo Lima, foi preso em flagrante pelo envolvimento em uma série de crimes

Gusttavo Lima acaba de se consagrar o cantor sertanejo mais tocado de 2021, mas as polêmicas não abandonam o seu nome. O sertanejo, que está vendendo ingressos de seu camarote por até R$ 20 mil, viu seu nome ser envolvido na investigação do empresário Marcos Rogério Araújo Nogueira, conhecido como Marquinhos Borracheiro, preso em flagrante ao lado de outras três pessoas em flagrante na cidade de Rondonópolis (Mato Grosso). As informações são do jornal Folha Max.

A quadrilha estava sendo investigada pela “Operação Argentarius”, que consistia em um esquema de “banco paralelo” e financiava uma série de crimes, como tráfico de drogas e até o contrabando de agrotóxicos. Marquinhos comprou um Crevolet Corvette do cantor Gusttavo Lima em 2017, avaliado em mais de R$ 500 mil. Na época, o cantor sertanejo tinha pedido para o até então ‘amigo’ cuidar bem do seu veículo e chegou a cobrar um ‘franguinho caipira’ por conta do empresário quando fosse até a sua cidade.

Essa era uma das principais famas do criminoso: a ostentação de veículos de alto padrão. No momento do cumprimento do mandato de busca e apreensão, foi encontrada uma arma de fogo ilegal em sua residência e Marquinhos foi preso, mas pode ser solto mediante pagamento de fiança. Também foram apreendidos 10 carros de luxo e cheques, além de confiscados R$ 200 milhões em contas juntamente dos outros suspeitos.

Vale ressaltar que Gusttavo Lima não tem nenhum envolvimento com os crimes do empresário Marcos Rogério Araújo Nogueira.

Gusttavo é vítima de estelionato e fica com nome sujo

(Foto: Reprodução Internet)
(Foto: Reprodução Internet)

Processado por plágio recentemente, o sertanejo Gusttavo Lima se surpreendeu ao tentar fazer a compra de um automóvel e descobrir que está com o nome negativado no SERASA e no SPC. Isso porque o cantor foi vítima de estelionato e teve três cartões estourados pelos golpistas.

Segundo foi divulgado pelo colunista Alessandro Lo-Bianco no programa “A Tarde É Sua” da RedeTV!, Gusttavo Lima estaria com várias restrições em instituições bancárias diferentes já que seu próprio CPF foi usado para inúmeras compras que resultaram em dívidas, conferidas pelo próprio cantor na concessionária onde compraria o veículo.

O golpista usou uma outra foto que consta em seu registro de carteira de motorista, no entanto, se apresentou com os mesmos dados do sertanejo, que tentou resolver as questões com as instituições bancárias mas não obteve êxito segundo Lo-Bianco. Em um comunicado oficial, emitido para a mídia, a assessoria jurídica de Gusttavo Lima informou o que será feito.

“A assessoria jurídica do cantor Gusttavo Lima, por intermédio de seu advogado Claudio Dias Bessas, informa que foram adotadas todas as medidas judiciais e criminais cabíveis, diante da fraude praticada por uma pessoa que se utilizou dos dados pessoais do artista junto às instituições financeiras, praticando estelionato e abrindo contas digitais. Tomamos conhecimento das fraudes antes mesmo das instituições, pois os dados pessoais dos artistas são monitorados. Ingressamos com uma ação judicial e foi indeferido uma medida liminar para que as instituições cancelem todas as contas digitais. O caso ainda será investigado pela delegacia de crimes especializados por meio de um inquérito policial.”