Em meio à polêmicas, casaco de Gusttavo Lima é leiloado e valor decepciona

Gusttavo Lima leiloou um casaco por R$ 11 mil durante um show, mas média de valor costuma ser muito superior em leilões beneficentes

O cantor sertanejo Gusttavo Lima está na mira da Justiça e da chamada CPI do Sertanejo por causa dos seus shows milionários em cidades do interior, que podem ter sido pagos com dinheiro público irregular vindo de verbas para a saúde e educação. Agora, após um show inesquecível no Rodeio de Americana, o cantor sertanejo resolveu leiloar uma peça de roupa durante outra apresentação, e o desfecho viralizou na internet.

Durante um show na cidade de Paty do Alfares, no interior do Rio de Janeiro, Gusttavo Lima fez um leilão do sobretudo que estava usando na apresentação em prol da APAE da cidade. Os fãs presentes no local puderam participar da ação, que começou com lances no valor de R$ 10 mil e foi arrematado por R$ 11 mil.

Quem arrematou a peça única, usada por Gusttavo Lima, foi o médico Murilo Boraschi, que fez o pagamento em cima do palco e já levou o casaco para casa em seguida. A assessoria do evento destacou que ele presenteou a esposa com a peça no dia dos namorados. Que presentão!

No entanto, o que chamou a atenção da internet foi o valor do casaco leiloado por Gusttavo Lima, que deixou muita gente decepcionada: “Apenas” R$ 11 mil. A decepção é pelo fato dos leilões beneficentes envolvendo peças de famosos sempre renderem altos montantes, o que não foi este caso em específico.

Para efeitos de comparação com o nome do momento na boca dos sertanejos, Anitta, o site da VEJA resgatou um leilão em que a popstar compareceu na Flórida (EUA), e leiloou uma “experiência no carnaval” por US$ 110 mil dólares, o que equivale a aproximadamente R$ 520 mil.

Gusttavo Lima é processado por ex-funcionários

(Foto: Reprodução/Instagram oficial)
(Foto: Reprodução/Instagram oficial)

Recebendo cachês de até R$ 1,2 milhão, Gusttavo Lima está sendo processado por 2 roadies (técnicos de apoio que viajam com a banda em turnê, encarregados de lidar com as produções de shows), que foram contratados pelo cantor sertanejo em 2015 e deixaram o emprego em 2017 e 2018, respectivamente. As informações são do g1.

Na época, o cantor sertanejo recebia cerca de R$ 300 mil por show, e pagava para seus músicos cerca de R$ 5,9 mil ao mês. Um dos ex-funcionários que processa Gusttavo Lima disse que ele tinha 3 roadies, o que significa que com apenas 2% do valor do cachê de uma noite, o sertanejo pagava o salário mensal desses funcionários. Com 6%, ele bancava a equipe toda.

No entanto, os funcionários alegam que os contracheques do cantor sertanejo apresentavam quantias menores do que os salários que eles ganhavam. Um contracheque de janeiro de 2018 mostrava que eles recebiam apenas R$ 2,5 mil. Com isso, os direitos trabalhistas e imposto pagos por Gusttavo Lima aos seus funcionários eram menores, já que foram calculados com base nesses valores reduzidos.

Gusttavo Lima foi condenado pela Justiça do Trabalho nos dois casos e terá que pagar as diferenças nos direitos aos trabalhadores e nos impostos ao Estado. Uma das ações, calculada em R$ 137 mil, terminou de ser paga em abril de 2022. A segunda ação ainda aguarda a decisão do recurso apresentado pelo jurídico do cantor sertanejo, e ainda não teve o valor calculado.

Ao g1, a advogada trabalhista Ana Cláudia Arantes (que não está envolvida nestes dois processos) diz que a prática é uma fraude: “Isso é uma forma de burlar a legislação trabalhista, pois assim se paga menos impostos (que são gerados sobre a folha de pagamento), diminui a base de cálculo do recolhimento de INSS do empregado e gera pagamento menor ao trabalhador de horas e reflexos, férias, 13º e FGTS. É um prejuízo para o trabalhador e para os cofres públicos”.