Os Barões da Pisadinha surpreendem ao ser indicados ao Grammy Latino 2021

60

A lista de indicados ao Grammy Latino 2021 na categoria Melhor Álbum de Música Sertaneja traz artistas renomados e surpreende ao contemplar também Os Barões da Pisadinha

Os Barões da Pisadinha, duo baiano febre de 2020, que estourou para o sucesso nacional com canções chiclete como “Recairei” e “Tá Rocheda”, foi indicado ao Grammy Latino 2021 pelo seu álbum “Conquistas (Ao Vivo)”, que foi lançado justamente em 2020. Este álbum, portanto, traz as músicas mais conhecidas, e eu tenho certeza que você já se pegou cantarolando e dançando aquela introdução de teclado que abre “Tá Rocheda”. Os números de reproduções nas plataformas de streamings, como o Spotify, são impressionantes, isso não se pode negar.

Gravado em São Paulo, “Conquistas” está recheado de letras de duplo sentido e que trazem expressões bastante depreciativas para as mulheres. Ok, eu sei que chamar as moças mais livres e donas de si de “raparigas” pode ser um costume regional muito enraizado, mas vamos combinar que lisonjeiro não é, nem um pouco. Pra dizer o mínimo.

Em se tratando da autoria das composições, são variações sobre o mesmo grupo. Inclusive, um grupo bastante extenso, na maioria das faixas. Muitas canções são assinadas por Kinho Chefão e Saymon Marques, mas chama a atenção o fato de que cinco das 15 músicas do trabalho têm autoria, individual ou compartilhada, do DJ Ivis, que recentemente ganhou as principais manchetes policiais do país por agredir a (agora ex) esposa, Pamella Holanda.

À primeira vista, pode causar certo estranhamento ver Os Barões da Pisadinha concorrendo com nomes de muito peso e já consagrados do estilo sertanejo, como os excepcionais Chitãozinho e Xororó e o romântico à moda antiga Daniel. Não se pode perder de vista que as indicações ao Grammy (tanto o Latino quanto o original, que premia a música norte-americana) são feitas por variados profissionais da área, e não apenas músicos e demais eruditos do segmento. Logo, há muito lobby e interesses comerciais permeando essas indicações, que nem sempre se explicam estritamente pela qualidade da música em si.

A questão mais interessante que ronda o fenômeno do estouro da Pisadinha em âmbito nacional é a da representatividade e, nesse sentido, merecem destaque as canções “Galera do Interior”, com a participação de Luan Estilizado, e “Festa na Roça”. Trata-se de um estilo musical que já é consagrado no interior do Nordeste há algum tempo e agora tomou o país. Acho que a música deve ser democrática e dar espaço a todos os ritmos e propostas. Também acho que há bons e maus cantores, músicos e produtores em todos os estilos, e os Barões da Pisadinha são bons dentro do seu nicho.

Musicalmente, fazendo um esforço final analítico além de gostos pessoais, todas as faixas são muito parecidas em termos rítmicos e de estrutura (estrofes, refrãos e pontes), e depois de um tempo ouvindo o trabalho, parece tudo realmente igual. Todas as canções do gênero têm como característica fundamental a introdução de teclado e a mesma batida.

Vou bater palmas pra quem compuser e estourar uma canção no ritmo da Pisadinha que consiga manter as características e a essência do estilo e saia do lugar comum, traga alguma inovação. Por enquanto, é muito receita de bolo, aquela fórmula quase matemática que faz sucesso e, por isso, não é preciso mudar. Divertido pra dançar um pouco, chatinho pra ouvir e pouco relevante a longo prazo em termos de alcance nacional. O tempo dirá se eu tenho razão.

A 22ª Entrega Anual do Grammy Latino acontece no dia 18 de novembro, na MGM Grand Garden Arena, em Las Vegas, nos Estados Unidos. No Brasil, a cerimônia será transmitida ao vivo pelo canal da TV a cabo TNT a partir das 19h00.

Sobre Dyala Assef: colunista do Movimento Country, escritora, professora universitária e ouvinte voraz de todos os estilos de boa música.