Exclusivo: Pétala Barreiros sofre golpe e ameaças de hacker

2

Pétala Barreiros, ex-mulher de Marcos Araújo, da Áudio-Mix, sofre golpe de estelionatário que já enganou diversos sertanejos

É golpe atrás de golpe. A influenciadora digital Pétala Barreiros, ex-mulher de Marcos Araújo, dono da Áudio-Mix, sofreu  um golpe financeiro do estelionatário Manoel Cautrins Pacheco, que usa nas redes sociais o nome de Gabriel Pacheco. Ele já é investigado pela polícia de Goiás por enganar empresários usando o nome de cantores sertanejos famosos; entre eles, Gusttavo Lima e Rodolffo, da dupla Israel e Rodolffo.

No último sábado (9), publicamos com exclusividade uma notícia que envolve um golpe que lesou dezenas de empresários em Goiânia usando os nomes do cantor Gusttavo Lima, Rodolffo, da dupla Israel & Rodolffo, Léo Magalhães e Pélata Barreiros. Contra o acusado, vários boletins de ocorrência na polícia civil de Goiás com acusação de estelionato contra Manoel Cautrins Pacheco.

O site Movimento Country entrou em contato com Pétala Barreiros para ouvir sua versão sobre os fatos; e através de sua advogada descobrimos que a influenciadora também foi vítima de um golpe.

Nós recebemos em primeira mão o comprovante de depósito feito na conta da empresa Easy, com sede em Goiânia, que Gabriel Pacheco dizia representar.

A transferência de parte do dinheiro foi efetuada na conta de Manuel Cautrins no dia 07 de maio de 2021, no banco Bradesco, às  16:21, pela depositante Eunice Maria Barreiros, mãe da influenciadora, no valor de R$1.500,00.

Depósito feito pela mãe de Pétala Barreiros para Gabriel Pacheco
(Foto: Assessoria)

Para nossa surpresa, Manoel decidiu ‘abrir o jogo’ e denunciar uma suposta rede de famosos que utilizam seus serviços para engajar e burlar os números nas redes sociais, entre elas, Pétala Barreiros, que tem 2 milhões de seguidores no Instagram.

Segue a nota enviada pela assessoria da influencer

Vamos tomar todas as medidas legais a respeito dessas falsas acusações. Manoel, irá ser responsabilizado por mais essa conduta. Agradeço por ter nos procurado, para apurar e se ater a verdade dos fatos. Obrigada”, finalizou a nota.

Em conversa exclusiva com o Movimento Country ele revelou a suposta história

Ela (Pétala) emitiu minha passagem para São Paulo, reservou um hotel para me hospedar, e mandou até carro com seguranças me buscar no aeroporto. Eu fiz o combinado na casa dela. Liimpei todos os comentários e curtidas delas em outros perfis do Instagram, recuperei a senha do Twitter, apaguei todas as conversas antigas, engajei vídeos nos reels e ela não me pagou o valor combinado”, disse o acusado.

Sigilo de cinco anos e medo

Segundo o hacker, ele ainda foi obrigado a assinar um contrato. Nele consta uma cláusula que o obriga manter sigilo de cinco anos sobre o serviço. Além disso, Manoel afirma que não recebeu o valor combinado pelos impulsionamentos. Ele ainda afirmou que foi bloqueado pela digital influencer no WhatsApp e teve seu acesso à mansão proibido pela ex do dono da Áudio-Mix.

A assessoria jurídica de Pétala Barreiros, disse à nossa reportagem por mensagem de WhatsApp que iria nesta quinta-feira (14), registar um boletim de ocorrência contra o suposto golpista.

Em uma de nossas conversas por ligação de telefone, a advogada contou que Pétala Barreiros chegou a ser ameaçada inúmeras vezes pelo hacker.

A advogada confirmou que Manoel foi para São Paulo encontrar com Pétala, mas ao perceberem as contradições nas conversas do rapaz, que tem apenas 18 anos, resolveram desfazer o negócio e não compartilhar as senhas de acesso às redes sociais da influenciadora.

Entenda o caso

Em outubro, o Movimento Country revelou que diversos artistas estavam sendo ‘lesados’ pelo suposto golpista que teria pego dinheiro deles sem realizar o suposto serviço contratado. 

Uma empresária, que não quis se identificar, disse com exclusividade para o site que foi vítima de ‘Gabriel Pacheco’. “Dizia ter feito serviços para grandes famosos como Gusttavo Lima e Rodolffo, quando ainda estava no BBB. Além de falar desses nomes, mostrou um contrato que tinha com a Pétala, ex- esposa do Marcos (Araújo) da Áudio Mix, que estava prestando os mesmos serviços que me ofereceu”, relata a empresária, que acreditou, pagou pelo serviço e afirma não ter recebido nada acordado com  Gabriel Pacheco.

Ela disse que fez um contrato com o suposto golpista e pagou adiantado a ele, mas o mesmo não cumpriu com suas obrigações. “Fechei o contrato com ele e fiz o pagamento adiantado de R$1.000,00 referente a um mês de impulsionamento digital e R$1.000,00 referente a 50% do site com o prazo de entrega de 20 dias, mas não cumpriu”, afirma a empresária que após o pagamento pelo serviço recebia uma desculpa para a não entrega.

Sempre que eu cobrava o serviço ele arrumava uma desculpa até que perdi a paciência e pedi que me devolvesse o dinheiro e ele disse que só poderia me devolver no começo de agosto, o que não cumpriu. No dia 20 de agosto fizemos um B.O de estelionato contra ele. Depois disso ele me devolveu R$1.000,00 e que em setembro passaria o restante de R$1.300,00. Até hoje nada”, desabafa a empresária.

Existem muitos boletins de ocorrência contra Manoel Cautrins Pacheco, que usa nas redes sociais o nome de Gabriel Pacheco. A polícia de Goiás parece que terá muito trabalho pela frente para resolver esse caso.

Boletim de Ocorrência feito da Easy contra Gabriel Pacheco
(Foto: Enviada pela Assessoria)

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Acreditamos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais