Saiba quem é Reddy Allor, a drag queen que tem destaque no Queernejo

46

Reddy Allor cantora, compositora e drag queen é uma das principais vozes do movimento Queernejo

Você já deve ter visto aqui no Movimento Country que nós somos oficialmente apoiadores do Queernejo, movimento musical derivado do sertanejo que busca dar voz aos artistas LGBTQIA+ e também trazer representatividade a esse público. Como uma das precursoras desse movimento e também uma de suas principais representantes está Reddy Allor, cantora, compositora, drag queen e dona de uma bela voz.

O Queernejo, como já dissemos, vem para ocupar um nicho do sertanejo muito carente de representantes e que chama a atenção para a importância de se analisar de forma crítica o sertanejo convencional enquanto segmento, muitas vezes, segregador e que dá pouco espaço de trabalho e pouca visibilidade para a galera LGBTQIA+. A maior parte dos artistas ainda é desconhecida do grande público, mas podemos te adiantar que há vários nomes que fazem um trabalho de boa qualidade, como é o caso de Reddy Allor.

Reddy Allor é a persona de Guilherme Bernardes Duarte, nascido em 1998, na cidade de Olímpia, interior de São Paulo. Guilherme cresceu no meio de influências do sertanejo raiz e ‘modão’, e sua família o influenciou desde muito pequeno a cantar ao lado do irmão durante almoços de família. O que nunca faltava no rádio era um bom sertanejo com nomes como Zezé de Camargo e Luciano e Rio Negro e Solimões. A família de Reddy, inclusive, é repleta de tios e primos que já estavam na música e, principalmente, no meio do sertanejo, o que foi pontapé inicial para que ela e seu irmão Gabriel entrassem no ramo.

Durante muitos anos, Guilherme fez dupla com seu irmão, hoje conhecido no meio sertanejo como Gah Bernardes. A dupla Guilherme e Gabriel rodou os arredores de Olímpia com shows em festas, resorts e lanchonetes desde quando os garotos tinham entre 12 e 13 anos. Com a repercussão, vieram os investimentos e o lançamento do EP “Depois de um Gole”, em 2017.

Ambos se dedicavam a seus trabalhos pessoais, Guilherme com a Reddy e Gabriel com seu trabalho solo, mas em determinado momento os irmãos decidiram finalizar os trabalhos como dupla, já que as agendas não batiam. Gabriel é compositor de algumas músicas da Reddy e a irmandade segue presente na vida dos artistas que mesmo não trabalhando juntos como duo, ainda estão presentes um na música do outro com as trocas diárias.

Em 2016, Reddy foi apresentada à arte drag por um amigo que compartilhou com ela o videoclipe de “Open Bar” da Pabllo Vittar, e a novidade fez crescer em Reddy a vontade de usar a arte e a criatividade dentro de si. Tornar-se drag foi o passo que Guilherme precisava para se encontrar como artista e entender seu propósito no meio musical.

Atualmente, Reddy busca suas influências em vários nichos musicais, transitando entre Marília Mendonça (sua grande e eterna inspiração) e mulheres do sertanejo em geral, e nas drag queens Gloria Groove e Pabllo Vittar. Suas influências internacionais estão concentradas no ritmo R&B de artistas como Beyonce. Suas composições vêm de suas próprias vivências ou da vivência de alguém próximo a ela. A cantora também dá voz às composições do irmão e sobre sua identidade. Enquanto artistas do Queernejo, abusa das franjas, do country, looks que usam chapéu de cowgirl e cinto de fivela e tudo que combine com toda criatividade artística, sempre aberta a novas possibilidades.

Após 1 ano se preparando para seu primeiro trabalho de estúdio, Reddy lançou o single “Louco & Abusivo”, em outubro de 2020. A música soma quase 30 mil streamings só no Spotify e mais de 16 mil visualizações no YouTube. Em dezembro do mesmo ano, a parte 3 do EP “Ascensão” chegou com a faixa “Indecisão”, em que Reddy canta a dúvida entre se entregar para um amor ou deixá-lo ir embora.

Lançado por completo em janeiro de 2021 e com mais de 300 mil plays nas plataformas digitais, o trabalho tem feito as pessoas mais se aproximarem da cantora. O crescimento de suas redes e o aumento no número de ouvintes mensais foi notável, a artista recebe mensagens semanalmente de pessoas que, até sem terem interesse no gênero, acabam por se viciar no EP. 

Em 2021, além do lançamento do EP “Ascensão”, Reddy participou do seu primeiro feat. A cantora está no álbum “Agropoc”, do cantor Gabeu, filho do sertanejo Solimões. A bela canção “Queda D’água” é um dos destaques do álbum, acumulando mais de 30 mil streams apenas no Spotify. Também em outubro deste ano Reddy lançou seu mais recente trabalho, o single “Tô Surtando”, uma música mais madura, que traz uma nova visão de Reddy Allor sobre sua sonoridade, na qual a cantora explora elementos do rock, muito conceito visual e metáforas no videoclipe.

O futuro do Queernejo está na mãos da união de diversos artistas LGBTQIA+ que se fortalecem em suas vivências para fazer o gênero sair da bolha heteronormativa e ganhar forma no meio. Sobre isso, Reddy comenta: “É um futuro muito revolucionário, todos do Queernejo estão nessa luta constante querendo fazer acontecer. Na verdade, nós já estamos acontecendo. Eu acredito nessa evolução do sertanejo, nessa representação, identificação, e acredito que em breve estaremos no mainstream, levantando nossos discursos e fortalecendo nossas mensagens”.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Acreditamos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais