Após polêmicas, Sérgio Reis é defendido por Sidney Magal: “bom de coração”

2

O artista chegou a dizer que pessoas mais velhas “perdem um pouco a noção” mas ressaltou a bondade de Sérgio Reis quando era deputado

O cantor e compositor de música sertaneja Sérgio Reis acabou manchando sua imagem no meio artístico e com o público após uma atitude radical. Isso porque, o veterano do ritmo acabou tendo um áudio vazado em que propagava discurso de incitação à uma intervenção militar, o que pode ser enquadrado como crime contra a Democracia. Depois de perder parceria de sertanejos e ter que cancelar seu novo álbum, Reis foi defendido pelo artista Sidney Magal.

Em entrevista ao Estadão, o músico começou: “Ali, na verdade, não houve uma intenção dele, senão teria entrado na internet e dito ‘vamos lá, galera’. Conheço o Sérgio bastante, ele é muito correto, bom de coração. Tanto é que durante o tempo todo que exerceu o mandato (de deputado federal). Ele pegava pelo menos metade do salário dele e dava para o Hospital do Câncer, em Barretos. Coisa que pouquíssima gente faz”.

De fato, diversos sertanejos são conhecidos por contribuírem com esses grandes hospitais e a informação sobre a ajuda de Sérgio Reis veio acompanhada de uma comparação afetuosa de Sidney Magal. “Agora com a idade a gente vai querendo chutar o balde. A minha mãe morreu com 80 e poucos anos. Às vezes, eu tinha vergonha de sair com ela porque dizia barbaridades para as pessoas. Quando a gente tem mais idade, perde um pouco a noção”, revelou Magal.

Passada a tensão do feriado de 07 de setembro, quando as manifestações, também convocadas por Sérgio Reis, aconteceram, o cantor acabou recuando e chegou a pedir desculpas pelas declarações. Durante os dias em que o sertanejo virou alvo de mandados de busca autorizados pelo Ministro Alexandre de Moraes, do STF, Reis desenvolveu depressão e chegou a ser internado.

Saiba quais artistas sertanejos apoiaram Sérgio Reis

(Foto: Reprodução Internet)
(Foto: Reprodução Internet)

O cantor e compositor de música sertaneja Sérgio Reis esteve muito ligado ao feriado nacional do dia 07 de setembro, que marca o dia da Independência da República. Isso porque, uma série de protestos foram marcados como forma de apoio ao Presidente Bolsonaro e contra o Supremo Tribunal Federal (STF) e um áudio vazado do sertanejo Reis, continha justamente um conteúdo de apoio à manifestação bolsonarista. No entanto, mesmo perdendo algumas parcerias importantes para seu novo álbum, sertanejos chegaram a apoiá-lo.

Embora tenha sido em vão, já que o projeto de Sérgio Reis acabou sendo cancelado, artistas como Zezé Di Camargo e Paula Fernandes declararam que estavam dispostos a participarem do álbum. No caso da mineira, a cantora afirmou que a decisão foi puramente por gratidão e respeito enquanto que, Zezé tem a mesma linha de pensamento político que o veterano do sertanejo e também já incentivou o povo a comparecer em manifestações bolsonaristas.

Na ocasião, a deputada Carla Zambelli (PSL-SP) publicou o vídeo do cantor em que ele demonstrava ser a favor do voto impresso, que foi negado no plenário da Câmara, despertando a ira dos bolsonaristas, que contavam com isso já pensando nas eleições de 2022.

Ao colocar em xeque a legitimidade do voto eletrônico, comprovadamente mais seguro que o impresso, e ainda apoiar um golpe de Estado, Sérgio Reis foi alvo de um mandado de busca e apreensão e a Polícia Federal chegou a vasculhar alguns endereços ligados ao artista. Embora não tenha sido preso, o cantor desenvolveu quadro de depressão e chegou a ser internado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Acreditamos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais